skip to Main Content

O uso de dados na tomada de decisões do seu negócio

Você já se perguntou de que forma deve utilizar a tecnologia a favor do seu negócio? No episódio 29 do podcast Somos Móveis, o tema Big Data foi discutido com o especialista Luiz Bahia Bittencourt, CEO da Idmax Technology, um dos principais implantadores da Neoway Business Solution. Confira a seguir os principais tópicos abrangidos no bate-papo sobre o uso de dados na tomada de decisões. 

O que é Big Data?

Big data é o poder do uso de dados confiáveis para tomadas de decisões no setor corporativo. Esses dados são obtidos por meio de softwares e muitas vezes são fundamentais para identificar seu público, qual o seu comportamento e decidir qual a melhor maneira de se comunicar com ele. Os bancos de Big Data devem possuir elasticidade e flexibilidade para armazenar grandes volumes de dados e diferentes tipos de mídias que são usados nesta análise.

Falamos um pouco sobre Big Data, IoT e IA nesse post! Vem conferir!

Hoje em dia, com o uso de dados, as tomadas de decisões são muito menos intuitivas e muito mais analíticas. Ao ser questionado sobre o poder dos dados nas decisões, Bittencourt respondeu:

“É uma mudança da água paro o vinho. Aquela empresa que deixa a antiga estratégia do achismo dos sócios, dos fundadores, do feeling, e começa a inserir a estratégia de tomar decisões pautadas por dados, começa a ter mais resultados. Mas nunca devemos também deixar de lado o feeling do dono, dos fundadores e dos sócios, mas precisamos de ferramentas, inclusive para eles, para que consigam tomar uma decisão em um mercado onde tudo acontece muito rápido. Então quanto mais dado e informação na mão, mais assertiva vai ser a decisão deles”.

Como utilizar o Big Data para potencializar os resultados?

Primeiramente, você vai precisar de um software ou plataforma que te ajude nesse processo de analisar dados e tomar decisões a partir deles. Devido ao PaaS, o processo se encurtou bastante. PaaS é a Plataforma como Serviço, ou seja, um modelo de programação online que facilita o desenvolvimento de softwares e aplicativos, excluindo a necessidade de compra e instalação de algum tipo de hardware para utilização dos serviços. Com isso, o usuário só precisa de um login e senha. “É nessa velocidade que a gente consegue hoje, sem instalar nada na máquina de ninguém, transformar uma empresa comum em uma empresa data driven em poucas semanas, se adequando muito rapidamente. É muito mais um processo para nós implantadores de Big Data entendermos o dia-a-dia da empresa e percebermos quais dados serão úteis, do que realmente a empresa se adequar a nós”, explica Bittencourt.

Quais ramos podem se beneficiar com o Big Data?

Durante o bate-papo, Bittencourt foi questionado se apenas o setor industrial se beneficia do uso de dados na tomada de decisões. Ele respondeu dizendo que qualquer empresa pode ver vantagens com o Big Data, mas que a indústria consegue extrair muito mais dessas informações. “Por exemplo, para a indústria moveleira é um super benefício. Com poucas filtragens eu consigo procurar empresas com o CNAE, sigla para Classificação Nacional de Atividades Econômicas, empresas de revenda de Manaus ou que fiquem a pelo menos 100 km do centro de Manaus. Em poucos cliques, já tenho uma lista de empresas para fazer visitação ou até mesmo trabalhar e se comunicar por telefone”, detalhou. 

Varejistas conseguem se beneficiar do Big Data pela obtenção de dados de pessoas físicas, entendendo como os habitués das lojas se comunicam, como se comportam e até qual a renda média dessas pessoas. 

Mas como interpretar os dados?

Agora já sabemos o motivo de implementarmos o Big Data no nosso negócio, o que é e os ramos que podem se beneficiar, mas afinal: como interpretar os dados na hora da tomada de decisão? 

Muitas vezes as empresas não possuem um analista de dados para fazer com que essas informações sejam mastigadas e entregues. Nesses casos, uma ajuda profissional consegue resolver a questão, ressalta Bittencourt. “A gente tem um time que vai entender as necessidades da empresa e vai transformar essas necessidades em filtros na plataforma, em relatórios parametrizados, para que o cliente consiga receber os dados da forma mais esmiuçada possível, mais pronta possível. Precisa de expertise em dados? Não precisa. Apenas de um ponto focal, um perfil analítico, que saiba quais perguntas se deve fazer para a ferramenta”.

Com uma ferramenta de Big Data, você pode acompanhar em tempo real como sua empresa está se saindo no setor, conseguindo relatórios mensais e comparando com dados obtidos por meio de reportagens, pesquisas e também por dados da plataforma. Em um mercado cada vez mais competitivo, o uso de dados na tomada de decisões se torna essencial para todo negócio.

Fimma e Movelsul juntas em 2022

A madeira e toda a sua versatilidade podem ser vistas em diversos expositores durante a Fimma e a Movelsul de 2022. As duas feiras acontecem juntas pela primeira vez na história em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, de 14 a 17 de março. Toda a cadeia de madeira e móveis deve se reunir na cidade que é considerada o maior destino enoturístico do Brasil. 

Veja mais informações sobre a Movelsul.

O polo moveleiro de Bento Gonçalves é o principal do país em número de empresas e peças produzidas. 

Confira mais detalhes sobre a Fimma

Acesse aqui outras novidades destinadas aos profissionais do setor de móveis e madeira! 

Back To Top